quarta-feira, 26 de julho de 2017

Desvios na Semsur foram praticados por empresas ligadas a Carlos Eduardo

A operação Cidade Luz, desencadeada nesta segunda-feira, 24, com o objetivo de desarticular um suposto esquema criminoso de desvio de recursos públicos na Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur), em Natal, concentrou o cumprimento de mandados de busca, apreensão e prisões contra empresários e ex-gestores da pasta.

Apesar de, segundo o Ministério Público Estadual (MP), o esquema estar perdurando desde 2008, o que inclui a anterior e a atual administrações do prefeito Carlos Eduardo Alves (PDT), o chefe do Executivo municipal não foi um dos principais alvos da operação.

Contudo, de acordo com o que reportagem do Portal Agora RN/Agora Jornal pôde apurar, o prefeito de Natal pode ter muito mais envolvimento com os atos ilícitos do que se imagina. Isso porque o prefeito Carlos Eduardo tem ligações muito próximas com as empresas acusadas de formarem um cartel para monopolizar a gestão de contratos com a Semsur e, para isso, pagarem propina aos gestores da secretaria. O MP estima que foram desviados no esquema R$ 22.030.046,46.

Dados da Controladoria Geral do Município de Natal demonstram que, entre os anos de 2013 e 2017, as empresas Alclog, Ancar, Enertec, FGTech, Geosistemas, Lançar, Real Energy e Servlight, todas sediadas em Pernambuco, foram beneficiárias de pagamentos no montante de R$ 73.433.486,86 de contratos superfaturados com a Semsur.

O prefeito Carlos Eduardo teria ligações estreitas com a maioria das empresas, especialmente com a Lançar Construtora e Incorporadora LTDA, da qual o pedetista seria sócio oculto, juntamente com os empresários Maurício Custódio Guarabyra e Epaminondas da Fonseca Ramos Júnior. O chefe do Executivo da capital teria, segundo a apuração da reportagem, maior proximidade com Epaminondas. Tanto ele quanto Guarabyra foram presos temporariamente ontem após determinação do juiz de Direito Auxiliar José Armando Ponte Dias Junior, da 7ª Vara Criminal de Natal.

Outro investigado na operação Cidade Luz também guarda relação próxima com o prefeito de Natal. Altamente implicado no esquema, o ex-secretário Antônio Fernandes de Carvalho Júnior assumiu o cargo em abril de 2015, justamente quando Raniere Barbosa deixou o posto. De acordo com informações obtidas pela equipe do Portal Agora RN/Agora Jornal, Antônio era próximo de Raniere enquanto este era secretário; ele ocupava o cargo de diretor do Departamento de Iluminação Pública da Semsur. Ao assumir a titularidade da Semsur, contudo, Antônio se aproximou do prefeito, rompendo politicamente com Raniere.

Por fim, outro ex-titular da pasta, Jerônimo Melo, que ocupou o cargo até maio deste ano, também assumiu o posto por “cota pessoal” do prefeito Carlos Eduardo, e não por interveniência de Raniere Barbosa, como se considerou até então. Jerônimo, inclusive, teria recebido, segundo o Ministério Público e conforme decisão judicial da operação Cidade Luz, benefícios ilícitos mesmo antes de assumir o cargo, no início de 2017. Seu filho, Daniel Melo, teria atuado junto às empresas que lideravam o esquema para cooptar propinas para o então futuro secretário.

Agora RN
Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

câmbio

Nossa Nova Fanpage

LBV.org/DigaSim

Image and video hosting by TinyPic

Sua Marca em destaque!


castelo zé dos montes


Bar espaço do forró


Art-Voz Studio

Image and video hosting by TinyPic

Anuncie no nosso site!

Twitter

Envie sua mensagem para nossa redação

Nome

E-mail *

Mensagem *